A VISITAR

m aerea meia praiaOratório edificado nos anos 40 para perpetuar a memória do Santo Padroeiro de Lagos que terá nascido em 1360, segundo a tradição, numa casa situada junto das Portas do Mar, no local onde hoje se encontra o seu nicho e imagem.

Ainda jovem vai estudar para Lisboa, onde decide entrar na Ordem dos Eremitas de S. Agostinho. Estudou teologia e dedicou-se à catequese e pregação, interessando-se sempre pelo bem-estar das populações e apoiando os pobres. Aí ganhou fama de santo, pelo bem e pelos milagres que fez, quer em vida quer depois de morto. São Gonçalo de Lagos faleceu em Torres Vedras, a 15 de Outubro de 1422. Em 1778 o Papa Pio VI autorizou o culto do “Bem-aventurado” ou Beato, a Frei Gonçalo de Lagos, com honras de Santo em Portugal.

Lagos comemora, a 27 de Outubro, o seu feriado municipal, em honra deste seu ilustre filho e padroeiro.

Fonte: CM-Lagos.pt

m pacosdoconcelho assembleiamunicipalEdifício de planta rectangular, volume simples de três pisos e cobertura de quatro águas. Delimitação dos pisos com frisos em cantaria e marcação axial, através de pilastras pintadas. Andar nobre ao centro, com janela de sacada em cantaria lavrada encimada pelo brasão da cidade. No interior, ao centro do edifício, escada de lance único que se divide em dois, no acesso aos pisos superiores.

Foi construído em inícios do século XIX para substituir as instalações da Câmara, localizadas na Praça do Pelourinho, e arruinadas com o terramoto de 1755. Ostenta na verga de pedra da porta principal, a data 1798, crendo-se que a referida verga integraria o conjunto das cantarias destinadas à reedificação do edifício na Praça do Pelorinho, hoje Praça do Infante, visto que só em 1832 foi tapada a Porta de São Roque, localizada no sítio onde foi erigido este edifício dos Paços do Concelho de Lagos. Depois da inauguração do novo edifico Paços do Concelho Século XXI, em Julho de 2009, este imóvel ficou como sede da Assembleia Municipal. Possui um Salão Nobre e várias salas destinadas a exposições temáticas temporárias.

Fonte: CM-Lagos.pt

m apassagemLocalizado no Cemitério de Lagos. Simbolizando a transição para o além, em Calcário “lioz” e “moca” da região. Da autoria de Tolentino Abegoaria.

Fonte: CM-Lagos.pt

m museu museologico escravosEm 2009, na zona extramuros da cidade (Vale da Gafaria), a intervenção arqueológica que acompanhou a construção de um parque de estacionamento subterrâneo permitiu identificar uma lixeira da época moderna e, no meio desta, um número significativo de esqueletos humanos (mais de 150) que os estudos vieram a comprovar tratar-se de indivíduos africanos trazidos para Lagos como mercadoria pelas rotas comerciais de escravos e que, por se encontrarem doentes ou moribundos, acabariam por ser inumados/descartados naquele local junto com outros dejetos urbanos. Neste equipamento pretende-se divulgar a ligação de Lagos ao comércio de escravos aqui existente no séc. XV.

Local: Praça do Infante

Horário de Funcionamento:
Terça a domingo | 10h00 – 12h30 / 14h00 -17h30

 

Este site usa cookies para melhorar a sua navegação. Se continuar a navegar entendemos que aceita o seu uso. Saiba mais...