A VISITAR

m kite surf rio alvor 9O Rio Alvor, ou Ria de Alvor, localizado entre as freguesias de Odiáxere (concelho de Lagos) e Alvor (concelho de Portimão), resulta da confluência de quatro linhas de água provenientes da encosta Sul da Serra de Monchique que dão forma a este complexo sistema estuarino que integra dunas, praias e terrenos agrícolas, mato semi-natural, pinhal e sapais salgados, além de abrigar espécies e habitats de interesse comunitário.

A ria é protegida do oceano por dunas fixas que limitam a área de estuário com bancos de vasa e areia, antigas salinas, pisciculturas e sapais. O reconhecimento da singularidade ecológica da Ria de Alvor levou à sua classificação como Zona Húmida de Importância Internacional, Biótopo CORINE e Zona Especial de Conservação - Rede NATURA 2000. Bivalves e Conde de Lippe - Nos bancos de areia da ria de alvor se cultivam e recolectam bivalves como a amêijoa e o berbigão. Já as conquilhas, são apanhadas ao longo da praia, com a água do mar pela cintura e a ajuda de uma bolsa de arrasto.

Consta que Guilherme Schaumbourg, Conde de Lippe, apreciava de tal forma as conquilhas, que as gentes de Lagos passaram a denominar o bivalve por condelipa, em homenagem ao Marechal das tropas portuguesas, contratado pelo Marquês de Pombal em 1762, a quem erradamente se atribui a decisão de edificar o Forte da Meia Praia.

Fonte: CM-Lagos.pt

m ruinasdoconventodosfradestrinosArquitectura popular, de planta quadrangular com igreja adossada à esquerda, da qual apenas restam as paredes estruturais. Construído entre 1599 e 1606 tem a sua fachada principal orientada a Oeste, com três portas de acesso ao conjunto. Fachada posterior, muito degradada, com cobertura plana. Possui um claustro com poço ao centro e pequeno muro ondulante formando bancos.

Localização: Junto à falésia. Implantado num campo arável com casa de época posterior adossada ao lado Norte. Urbanização a Sul, mar a Eeste, e no vale a Norte, a cidade de Lagos.

Fonte: CM-Lagos.pt

m ruinasdaermidadesantoamaroConstrução do Século XIV, de planta longitudinal contrafortada a Oeste, apresenta cantarias de verga recta, cunhais que ladeavam a fachada principal e na zona da capela-mor, mostra que a cobertura era em cúpula e o altar-mor tinha um nicho.

Fonte: CM-Lagos.pt

m pelourinhoO Pelourinho encontra-se actualmente num pátio interior do Museu Municipal de Lagos.

Sobre três bases sobrepostas em degrau encontra-se o plinto que suporta um coluna lisa que recebe outra espiralada, interrompida a meio por um elemento quadrangular, encimada por um capitel decorado com acantos. Sobre o ábaco repousa uma semi-esfera, aparada nos quatro lados, com ferragens cravadas, que suporta uma esfera armilar de perfil irregular.

O pelourinho foi montado utilizando pedras novas que não pertenciam a sua construção inicial.

Fonte: CM-Lagos.pt

Este site usa cookies para melhorar a sua navegação. Se continuar a navegar entendemos que aceita o seu uso. Saiba mais...